quinta-feira, 23 de agosto de 2012

para refletimos


 

VENCEDORES

 “E outros experimentaram escárnios e açoites, e até cadeias e prisões. Foram apedrejados, serrados, tentados, mortos ao fio da espada; andaram vestidos de peles de ovelhas e de cabras, desamparados, aflitos e maltratados (Dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos, e montes, e pelas covas e cavernas da terra. E todos estes, tendo tido testemunho pela fé, não alcançaram a promessa. Provendo Deus alguma coisa melhor a nosso respeito, para que eles sem nós não fossem aperfeiçoados”. Hebreus 11.36-40 Eu quero chamar a todos esses de vencedores, de homens vencedores, mulheres vencedoras. Não heróis como comumente se acostumou a chamá-los. Eles não foram heróis coisa nenhuma, além do mais que chamá-los de heróis, após toda a vida de fé, santidade e fidelidade a Deus seria diminuí-los em honra. Quero, portanto destacar algumas verdades sobre a vida dessas pessoas para edificação de cada um de nós, partindo do principio que precisamos crescer e que estamos em um processo constante de aperfeiçoamento até a vinda de Cristo. Algumas expressões nesse capitulo 11 de Hebreus são de grande relevância para nossa vida cristã. Em primeiro lugar quero destacar a expressão “pela fé”. O autor de Hebreus entendeu que a vida de fé que esses homens e mulheres tiveram precisava ser observada por sua igreja naquela época. Ele começa a falar de Abel, Enoque, Noé, Abraão, Isaque, Jacó, José, Moisés e segue adiante falando de outros, a ponto de dizer que lhe faltaria tempo para falar de tantos outros. Assim ele identifica como sendo a fé em Deus a força motriz da vida exemplar de todas essas pessoas. Elas pensavam, falavam, agiam, reagiam, decidiam e tudo o mais quanto faziam era para que Deus fosse exaltado e glorificado na vida delas. O ódio, o rancor, a ira, a inveja, a discórdia, a mágoa ou qualquer outra coisa jamais teve qualquer ingerência sobre a vida e ações desses homens e mulheres de Deus (2-30). Em segundo lugar quero destacar a informação de que essas pessoas que por demais numerosas, enfrentaram situações, pessoas, sistemas, muito maior do que elas. Enfrentaram oposição e inimigos muito superiores a elas tanto em estatura, como em poder e força. Essa atitude, que evidentemente era uma conseqüência da fé que nutriam, nos mostra claramente que não importava o tamanho que a coisa, pessoa ou problema transparecia ter diante delas. Elas olhavam sempre para algo maior que era Deus, sempre manifestavam ter algo maior que o medo, a dúvida ou a fraqueza que era a fé (32-36). Em terceiro lugar quero pensar com vocês sobre onde estava o coração e o pensamento dessas pessoas; o que elas almejavam alcançar na vida. Foram pessoas que não desesperaram pelo fato de algumas não ter tido a oportunidade de ter uma vida tranqüila, confortável ou próspera segundo o mundo. Viveram pelos desertos, pelas cavernas, pelos montes, sem destino certo, vestidos com peles de animais, esquecidos, aflitos e maltratados, sem, todavia nunca vacilarem ou murmurarem. A questão não é que elas não tinham condição financeira de ter uma vida melhor, mas sim o fato de não terem por parte do mundo, oportunidade para isso. Contudo, isso não se tornou um problema para elas, afinal de contas, almejam o céu e não a terra (36-38). Em último lugar quero destacar o fato de que apesar de tudo isso, elas não alcançaram a promessa. Ora, mas, que promessa pastor? Que coisa é essa? Elas não foram salvas? Sim, foram salvas, mas não alcançaram a promessa de ver o messias, porque aprouve a Deus que Jesus não tivesse vindo no tempo delas, mas posteriormente, no tempo de Deus para que nós, a igreja do Senhor pudesse ter tido a oportunidade de conhecê-lo. Elas morreram e foram aperfeiçoadas antes de nós, para que nós fossemos abençoados (39,40). Mas, em fim o que tudo isso pode significar para nós ou nos ensina? Primeiro, eu tenho vivido pela fé em tudo nessa vida? Segundo, eu tenho visto Deus maior que as coisas que me tem acontecido? Terceiro, eu tenho vivido e demonstrado estar mais interessado no céu do que a terra? E em ultimo lugar eu tenho obtido bom testemunho? Essas perguntas devem ser repensadas com bastante cuidado a fim que eu tenha uma boa reflexão. Que o Senhor da Igreja nos ajude em nome de Jesus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário