terça-feira, 27 de março de 2012

DEVEMOS ORAR PELO POVO DE DEUS!





 VAMOS ORAR.

Pastor colombiano é forçado por militantes a deixar sua casa e mudar de cidade O religioso estava sendo ameaçado desde 2005 mas acabou aceitando o ultimato de mudar de cidade. Militantes armados da Colômbia forçaram um pastor a deixar sua casa juntamente com toda sua família. O religioso já havia sido informado que teria que fechar sua igreja três meses antes quando foi chamado para conversar com alguns dos rebeldes que atuam na região. Os guerrilheiros lhe disseram que era melhor ele aproveitar aquela oportunidade de se mudar para que coisas piores não acontecessem. “É melhor você aproveitar essa oportunidade que nós estamos lhe dando e ir embora logo para que não aconteçam coisas piores para você.” De acordo com o site Portas Abertas, os militantes já tinham ido anteriormente até a casa do pastor, arrumaram suas coisas e disseram para que ele fosse embora o mais rápido possível. E assim fez o pastor e sua família que tem ao todo 37 pessoas. “Quando você recebe um aviso desses, você não pensa duas vezes”, disse ele. “Nem eu nem meus parentes sabemos porque os guerrilheiros nos forçaram a sair de nossas terras, terras na qual nós cultivávamos nossa produção agrícola”. O pastor informou que vem sendo ameaçado desde 2005 quando os guerrilheiros lhe proibiram de pregar o evangelho na aldeia caso contrário seria colocado na lista negra da guerrilha. Em nova região o pastor continua exercendo seu ministério, falando de Jesus para os novos vizinhos. “Eu aprendi a estar bem, mesmo em situações boas e situações ruins”, disse ele. “Eu simplesmente pedi coragem e força para continuar meu trabalho. Enquanto estiver vivo, vou servir a Deus e ao Seu Reino”, concluiu. 
Com informações Portas Abertas 





 

 Sudão exige que cristãos deixem o país
Eles têm até o dia 8 de Abril para deixar o estado islâmico do Norte

Milhares de cristãos sudaneses já privados de sua cidadania são agora forçados a sair do Sudão. Eles têm até o dia 8 de Abril para deixar o estado islâmico do Norte, ou serão considerados estrangeiros sob um regime que é abertamente hostil aos não árabes e não muçulmanos.
Aqueles que permanecerem no Sudão após o prazo de Abril poderão enfrentar perseguição e os cristãos não sudaneses serão forçados ao repatriamento, ambos os casos hão de provocar milhares de refugiados para o sul do Sudão e consequentemente uma crise humanitária.
O ultimato Sudanes vem exatamente no tempo em que o Sul do Sudão luta com uma crise alimentar causada pela seca que arruinou as suas plantações. O Programa Mundial de Alimentação das Nações Unidas estima que pelo menos cinco milhões de pessoas no Sul do Sudão sofrem de desnutrição.
Além disso, os recursos do Sul do Sudão já estão sendo destroçados pela chegada de refugiados do Kordafan Sul e do Nilo Azul onde 185.000 já abandonaram suas regiões fugindo de uma recente campanha genocida de um ditador árabe que deseja um puro estado islâmico.
“Apesar do final da longa guerra civil e da independência do sul do Sudão, cristãos de ambas as nações continuam a sofrer crueldades”, disse o Dr. Patrick Sookhdeo, Diretor Internacional  de organização “Barnabas Aid” ( Ajuda Barnabé).
“O sul do Sudão está ficando com peso das centenas de milhares de pessoas fugindo do Presidente Omar Al-Bashir e da sua campanha brutal para islamizar e arabizar o Sudão completamente. Nossos irmãos e irmãs precisam de nossa ajuda e orações pois estão sendo forçados a deixarem as suas casas e reconstruir as suas vidas em qualquer parte.
Traduzido e adaptado de Worthy Christian News


SEMINARISTA JHONY.

Nenhum comentário:

Postar um comentário